04/05/2012 - Agência CNT de Notícias

Cartilha esclarece dúvidas sobre o pagamento eletrônico do frete



União Nacional dos Caminhoneiros vai distribuir um milhão de exemplares em pontos estratégicos do país.

A substituição da carta-frete pelo pagamento eletrônico tem causado muitas dúvidas no setor de transporte rodoviário. Segundo estimativas da empresa Pamcary, 45% dos caminhoneiros autônomos do país estão com o Registro Nacional do Transportador Rodoviário de Carga (RNTRC) não cadastrado, suspenso ou vencido.

Sem o RNTRC devidamente cadastrado e atualizado, o caminhoneiro fica impedido de receber o pagamento, segundo a Resolução nº 3.056, de 12 de março de 2009 da ANTT. Diversas outras exigências e informações sobre o pagamento eletrônico estão bem detalhadas na cartilha "Fim da carta-frete. Uma conquista a ser valorizada", elaborada pela União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam).

O documento explica tudo que o caminhoneiro precisa saber, em linguagem direcionada a este profissional, para receber o pagamento pelo frete. Aborda ainda questões como o que é o RNTRC e porque ele é necessário; como obter o RNTRC; o que é o Contrato de transporte e o CIOT (Código Identificador da Operação de Transporte), além da importância da administradora de meios de pagamento de frete.

A cartilha é distribuída nos principais pontos de concentração de motoristas, como terminais de carga, portos, postos de abastecimento e postos da Unicam.

Para o presidente da entidade, José Araújo "China" da Silva, a ação é extremamente positiva. "Não só para evitar multas, mas para que cada um dos caminhoneiros do Brasil possa ser um agente da sustentabilidade dessa grande conquista que foi o fim da carta-frete", afirma.


Material

Acesse a cartilha "Fim da carta-frete. Uma conquista a ser valorizada".


Aerton Guimarães
Agência CNT de Notícias



Voltar