Riscos existem. Para reduzi-los ao máximo, existe a Pamcary.

O porquê da preocupação com os riscos em transportes.

O sucesso da função logística, além de garantir que o produto chegue ao lugar certo, no prazo estabelecido, sem avarias ou alterações de qualidade e com o menor custo, depende também da identificação e da gestão dos riscos no transporte e no armazenamento. Fazer isso em um cenário caracterizado por elevados índices de roubos e acidentes é um verdadeiro desafio.

A gestão eficaz de riscos causa impactos diretos tanto no preço final do produto e, portanto, em sua competitividade, quanto na imagem da empresa, quando estão envolvidas questões ambientais e de responsabilidade social. A proposta da Gestão de Riscos da Pamcary é ajudar seus clientes na gestão eficaz, além de permitir a visibilidade do processo de transporte por meio da divulgação de informações logísticas.

A Pamcary pode ajudar você a saber o quanto e com quais riscos você deve se preocupar.

Isso é feito pela aplicação de um método estruturado, cujo primeiro passo é o pleno entendimento do funcionamento da cadeia logística, identificando as especificidades do cliente e os fatores críticos para o sucesso desta função no contexto estratégico do seu negócio.

A análise das fontes de perda no processo e dos sistemas preventivos implantados permite a identificação da natureza dos riscos existentes e que devem ser gerenciados. Roubos, acidentes, avarias, danos ambientais e até mesmo atrasos têm sua probabilidade de ocorrência cientificamente estimada e seus impactos adversos avaliados, visando estabelecer prioridades e estimar as intensidades de tratamento.

A partir daí, a Pamcary desenvolve um modelo de gestão personalizado, sob medida para a sua empresa, tanto para o gerenciamento dos riscos estáticos (no armazenamento) como para os riscos dinâmicos (no transporte de mercadorias). Para cada nível de ameaça identificado é proposta uma resposta preventiva equivalente, garantindo uma solução com custo mínimo.

A fim de assegurar que o modelo de gerenciamento de riscos não afete adversamente a fluidez das operações logísticas, a Pamcary toma a iniciativa de criar e prover uma diversidade de soluções alternativas para a proteção do transporte. Dessa forma, seus projetos satisfazem os critérios de viabilidade, não apenas técnica, mas também econômica e operacional.

Os pilares do modelo de gestão de riscos são:

  • seleção e capacitação das pessoas envolvidas no processo;

  • utilização das ferramentas tecnológicas mais apropriadas à operação a ser gerenciada;

  • procedimentos claros e práticos.


  • Evidentemente, um plano só será efetivo se for corretamente implantado e gerenciado. Para ajudar seus clientes na execução e no gerenciamento do processo, a Pamcary conta com profissionais altamente especializados e experientes, capazes de auditar, medir resultados e propor melhorias permanentes ao processo, visando à redução de perdas, ao aumento da visibilidade e, conseqüentemente, da produtividade, e à eficiência da cadeia de abastecimento.

    Desenvolvimento sustentável e responsabilidade social. Um compromisso da Pamcary.

    Ao proteger a vida dos condutores e o meio-ambiente, os modelos de gestão de riscos da Pamcary se alinham aos princípios de desenvolvimento sustentável e responsabilidade social.

    Suas extensivas pesquisas na área de acidentes rodoviários, com base nos milhares de eventos que atende anualmente, têm ajudado a conscientizar governo, empresários e sociedade da gravidade do problema. Tão importante quanto aferir a extensão das conseqüências, os estudos da Pamcary lançam luz sobre as variáveis determinantes que precisam ser tratadas, com o objetivo de reduzir as milhares de mortes registradas todo ano como conseqüência desses acidentes.

    A assertividade de suas conclusões pode ser observada no resultado de seus novos programas de prevenção de acidentes, nos quais nossos clientes celebraram reduções tanto na freqüência dos sinistros quanto no número de feridos graves e de mortos.

    No caso dos acidentes com cargas perigosas, o impacto ambiental tem sido reduzido não apenas pela ação preventiva, mas também pela pronta resposta no local. Equipes de coordenação do atendimento, em harmonia com o Plano de Emergência desenhado, ajudam na tomada de decisões para a rápida e precisa solução da situação.